Terapia genética faz pacientes com câncer incurável entrarem em remissão

Terapia genética faz pacientes com câncer incurável entrarem em remissão

Células T atacando as células tumorais

Foi divulgado em Chicago, durante a ASCO (Sociedade Americana de Oncologia Clínica), o maior congresso de oncologia do mundo, resultados de uma pesquisa realizada com imunoterapia, terapia que tem como objetivo o sistema imune, em pacientes portadores de mieloma múltiplo – câncer de medula óssea ainda considerado incurável, pode causar dano aos ossos, queda da imunidade, falha nos rins e anemia.

De acordo com a pesquisa divulgada, 33 dos 35 pacientes (94%) portadores de mieloma participantes apresentaram remissão da doença – termo usado quando não há sinais dela, mas ainda não se pode considerar cura – dois meses após o início de terapia com linfócitos T, células atuantes no sistema imunológico.

As células T foram retiradas pelos pesquisadores dos próprios pacientes, depois foram modificadas em laboratórios com CAR (receptor de antígeno quimérico) e então injetadas novamente nos participantes por via intravenosa. Dez dias após o processo já apareceram os primeiros resultados. Os efeitos colaterais foram mínimos na maioria dos pacientes.  Os dados foram publicados no JCO (Journal of Clinical Oncology).

Especialistas que estavam no evento afirmaram que, embora a quantidade de pacientes seja pequeno, é raro que qualquer terapia contra o câncer tenha considerável sucesso.

– Ainda é cedo, mas os dados apresentados são um sinal de que o tratamento com linfócitos T CAR pode fazer com que o mieloma múltiplo entre em remissão – afirma o oncologista da Universidade de Michigan, Michael S. Sabel. – Raramente se vê taxas de resposta tão altas, ainda mais para um câncer de difícil tratamento. Essa é a prova de que o estudo da imunoterapia é compensador.

A reprogramação genética dos linfócitos T se baseia na inserção de um gene projetado de modo artificial no genoma das células, ajudando a encontrar e destruir células tumorais em todo o corpo.

Novas pesquisas serão realizadas para avaliar se o tratamento é capaz de curar a doença.

– Embora os recentes avanços na quimioterapia tenham aumentado a expectativa de vida dos portadores de mieloma múltiplo, o câncer permanece incurável – afirmou Wanhong Zhao, hematologista e diretor no Second Affiliated, Hospital da Universidade de Xi’an Jiaotong, China. – Parece que com a nova imunoterapia pode haver uma chance de cura para o mieloma, mas ainda é preciso acompanhar os pacientes por muito mais tempo para confirmar isso.

Curta nossa página no facebook: http://facebook.com/CombateCancer

Siga-nos no instagram: http://instagram.com/CombateCancer @CombateCancer

Compartilhe no Facebook

Digite seu endereço de e-mail e fique informado gratuitamente e clique em ENVIAR:






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *