SUS passa a oferecer remédio de alto custo para pacientes com metástase no câncer de mama

Mastologista afirma que o Trastuzumabe pode dobrar a sobrevida de pacientes; dose do remédio custa cerca de R$ 10 mil.
Remédio é usado para tratar câncer de mama, diagnosticado após exame de mamografia (Foto: Carla Cleto/Governo de Alagoas)
Remédio é usado para tratar câncer de mama, diagnosticado após exame de mamografia (Foto: Carla Cleto/Governo de Alagoas)

Em uso há mais de 15 anos, o remédio trastuzumabe é usado para tratar um tipo específico de câncer de mama e pode, inclusive, dobrar a sobrevida de pacientes com metástase – quando a doença está instalada em outras partes do corpo. O Sistema Único de Saúde (SUS), através do Ministério da Saúde, passou então a disponibilizar a droga também para as pacientes portadoras de câncer de mama metastático. A droga será fornecida em um prazo de 180 dias.

Na quinta – feira (3) a decisão foi publicada no Diário Oficial da União. O uso liberado pelo governo em 2012 atendia os pacientes que não tinham metástase. Atualmente, mais de 3 mil pacientes com câncer de mama inicial e localmente avançado usam o trastuzumabe pelo SUS. A reivindicação foi realizada por organizações como a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) para ampliar o acesso do remédio a todos os tipos de pacientes.

O custo do medicamento no mercado é de R$ 10 mil reais a dose. Ela é empregada no tratamento do câncer de mama com o subtipo HER2+ (positivo), o mais agressivo e atinge um quinto das mulheres com tumores mamários. A célula tumoral expressa o gene que leva o mesmo nome da doença, e o remédio tem como função bloquear a ação do gene, evitando a proliferação do tumor.

Trastuzumabe
Trastuzumabe

Maira Caleffi, presidente da FEMAMA e médica mastologista, afirma que “há um atraso na aprovação do medicamento e que o medicamento é fundamental para o tratamento desse tipo de câncer em qualquer fase, sendo possível dobrar a sobrevida. O tratamento anterior era feito com quimioterapia sem ter um alvo específico para o tipo da doença. Agora a doença pode ser controlada por muito mais tempo”.

Segundo a FEMAMA, o medicamento “mudou a forma como o câncer é tratado no mundo”. A Organização Mundial da Saúde (OMS) criou uma lista para servir de guia aos governos nas escolhas de políticas em saúde, a qual tem o trastuzumabe como medicamento básico para combater o câncer.

Com informações do G1.

Compartilhe no Facebook

Digite seu endereço de e-mail e fique informado gratuitamente e clique em ENVIAR:






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *