Saúde nota zero

PESQUISA REVELA INSATISFAÇÃO COM O SETOR EM PRATICAMENTE TODO O BRASIL

saúde nota zero

Essa foi a avaliação feita pela maior parte da população brasileira, de acordo com pesquisa feita pelo Instituto Datafolha. De acordo com 93% dos pesquisados, os serviços de saúde são péssimos, ruins ou regulares.

Entre os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), 87% têm uma avaliação negativa dos serviços oferecidos. Cerca de dois em cada dez brasileiros atribuem nota zero para ambos (saúde no Brasil e SUS). Em todas as regiões e segmentos avaliados, o índice de péssimo/ruim é mais elevado, com destaque entre os moradores do Sudeste e de regiões metropolitanas.

Foram ouvidas 2.069 pessoas. A amostra, composta por homens e mulheres com idade superior a 16 anos ou mais, respondeu a um questionário estruturado que, entre outros pontos, avaliou ainda a percepção do grupo acerca do acesso, da utilização e da qualidade dos serviços oferecidos pelo SUS.

Na avaliação feita para cada um dos dez serviços estudados, mais da metade dos entrevistados que buscou o SUS relatou ser difícil ou muito difícil conseguir o procedimento pretendido, especialmente quando se trata de cirurgias (63%). Atendimento domiciliar e procedimentos específicos de maior complexidade (diálise, radioterapia,
quimioterapia, entre outros) também possuem uma avaliação crítica.

O tempo de espera para atendimento é o fator que tem pior avaliação no âmbito do SUS. Para 89% dos entrevistados,
essa dimensão merece notas que representam os conceitos péssimo, ruim ou regular.

De acordo com a pesquisa, para a maioria da população (77%), o governo tem falhado na gestão dos recursos da saúde pública. Ainda segundo o estudo do Datafolha, a saúde no Brasil é apontada por 43% dos entrevistados como tema que deveria ser tratado como prioridade pelo governo federal.

Créditos: ABRALE: http://www.abrale.org.br

Compartilhe no Facebook

Digite seu endereço de e-mail e fique informado gratuitamente e clique em ENVIAR:






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *