População ainda negligencia exames preventivos contra o câncer

exames pop
Na semana em que aconteceu o Dia Nacional de Combate ao Câncer (27/11), a SulAmérica chamou a atenção para a importância dos diagnósticos preventivos da doença. Exames simples e de rotina como o Papanicolau, Mamografia e exame de próstata, podem detectar alterações e evitar que elas progridam para um estágio mais sério.
No entanto, o levantamento feito pela SulAmérica com dados do Saúde Ativa, programa de medicina preventiva realizado pela seguradora, identificou que ainda existe uma parcela da população segurada que negligencia estes cuidados com a saúde.
A SulAmérica entrevistou 4.695 mulheres entre 25 e 60 anos em 2011 e constatou que 25,9% não se consultam com o ginecologista há mais de um ano,  3% a mais do que em 2010. Consequentemente, essas mulheres também não realizaram o Papanicolau, um exame simples, de fácil execução, baixo custo e capaz de detectar alterações que podem progredir para o câncer no colo do útero.
Já quando se trata de prevenção do câncer de mama, o estudo da SulAmérica aponta que 22,9% das 1.339 mulheres pesquisadas entre 35 e 69 anos não estão com o exame de Mamografia em dia. Segundo o Ministério da Saúde, essa faixa etária apresenta maior risco de desenvolvimento deste tipo de câncer e por isso recomenda-se que todas as mulheres entre 50 e 69 anos de idade façam o exame de mamografia pelo menos uma vez a cada dois anos, ou em caso de histórico familiar a partir dos 35 anos.
Ainda de acordo com a pesquisa, o cenário do diagnóstico precoce do câncer de próstata também se mostra inadequado. Dos 1.122 homens a partir de 50 anos ou 40 anos com histórico familiar para câncer de próstata, 15% informaram que nunca realizaram os exames preventivos, ultrassonografia, PSA ou toque retal. O rastreamento precoce para o câncer de próstata é um assunto controverso, no entanto, segundo o Ministério da Saúde é recomendável a consulta regular com urologista, para homens com idade a partir de 50 anos para orientação e avaliação anual.
As informações foram registradas em 2011 através do Saúde Ativa, um conjunto de programas com foco na promoção à saúde e prevenção de doenças e suas complicações. A partir desta pesquisa é possível traçar o perfil de saúde da população, bem como alertá-la em relação aos seus riscos e auxiliá-las na mudança de hábitos e comportamentos. Estes programas já beneficiaram 542 empresas de janeiro a setembro de 2012.
Fonte: Segs.com.br
Compartilhe no Facebook

Digite seu endereço de e-mail e fique informado gratuitamente e clique em ENVIAR:






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *