Estudos fazem conexões entre infecções que ocorrem na boca e problemas cardiovasculares, diabetes, obesidade, câncer, osteoporose, parto prematuro e nascimento de bebês abaixo do peso. Foto: Shutterstock

Estudos fazem conexões entre infecções que ocorrem na boca e problemas cardiovasculares, diabetes, obesidade, câncer, osteoporose, parto prematuro e nascimento de bebês abaixo do peso.
Foto: Shutterstock

Mais do que nunca, odontologia e medicina unem forças para estudar como a saúde bucal pode revelar outros problemas do organismo ou ser apenas o início de doenças mais graves. Estudos fazem conexões entre infecções que ocorrem na boca e problemas cardiovasculares, diabetes, obesidade, câncer, osteoporose, parto prematuro e nascimento de bebês abaixo do peso.

O processo é relativamente simples. As bactérias que estão atacando a gengiva entram na corrente sanguínea, se alojam em outros órgãos, como fígado e rins, e prejudicam seu funcionamento. Até mesmo o coração pode ser alvo de micro-organismos nocivos que usam a boca como porta de entrada.

O problema mais conhecido é a endocardite bacteriana, uma infecção das válvulas do coração, que acomete com maior frequência quem já apresenta danos no órgão. “Hoje em dia, os grandes centros de hemodinâmica e de cirurgias cardíacas solicitam uma avaliação previa desses pacientes ao cirurgião dentista antes dos procedimentos”, diz o dentista Mario Kruczan, especialista em periodontia e membro da Sociedade Francesa de Periodontia.

Além de dar livre acesso às bactérias, o processo inflamatório da gengivite também pode desequilibrar quimicamente o organismo. Para combater a doença bucal, o sistema imunológico libera diversas substâncias no organismo que podem interferir no funcionamento de órgãos, do metabolismo e de sistemas inteiros do corpo. É o que ocorre com o diabetes – há um desequilíbrio do balanço químico do organismo que dificulta o controle dos níveis de glicose. Ao mesmo tempo, o diabetes agrava a gengivite. “Por isso, cada vez mais a odontologia está vinculada a especialidades que atuam no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças”, explica Kruczan.

Marque sua consulta
Em um exame odontológico de rotina, além do foco nos dentes e gengivas, o dentista faz uma avaliação mais abrangente, com foco também nas mucosas, língua, céu da boca, articulações e pescoço. Conhecer a história de doenças pré-existentes, tratamentos e medicações utilizadas também têm grande importância para montar o histórico odontológico do paciente.

Segundo Mário Kruczan, caso constate que sangramento gengival, mau hálito, feridas que não cicatrizam, o paciente deve consultar um dentista. Outro passo importante é investir na higienização bucal, bem como a limpeza da língua e dos aparelhos ou próteses. “Manter uma dieta balanceada em que a ingestão de açúcar refinado seja reduzida e o consumo de frutas, leguminosas e produtos lácteos seja maior também ajuda”, recomenda o dentista.

Doenças e problemas que podem ser diagnosticados pela boca
– Periodontites: É o processo inflamatório, que se inicia nas gengivas e afeta as estruturas de suporte dos dentes, que quando chega à corrente sanguínea leva as bactérias a todas as partes do corpo. Esse problema é um fator de risco para doenças cardiovasculares, partos prematuros, diabetes e nascimento de bebês com baixo peso.

– Estomatites e aftas: Geralmente são benignas, mas quando recorrentes, podem ser sinal de doença viral ou doenças imunodepressoras. Feridas que não desaparecem ou são resistentes ao tratamento por mais de três semanas devem ser investigadas.

– Câncer bucal: Diagnóstico precoce pode ser de grande valia na cura e até salvando a vida desses pacientes.

– Secura na boca: tecnicamente chamada de xerostomia, esse problema pode ter várias causas, como, por exemplo, a Síndrome de Sjogren, uma doença autoimune relacionada a distúrbios reumáticos.

– Líquen Plano: uma doença dermatológica autoimune que pode ter manifestações inflamatórias na mucosa bucal, se apresentando como estrias ou placas esbranquiçadas nas bochechas, língua e nas gengivas.

– Distúrbios da articulação temporo-mandibular (DTM): os principais sintomas apresentados são as dores de cabeça e zumbido nos ouvidos, característicos do bruxismo, hábito de ranger os dentes e que tem origem no estresse e na ansiedade.

– Distúrbios alimentares: um grande indicativo da presença de distúrbios alimentares, como bulimia e anorexia, é a erosão dental. É caracterizada pela perda das estruturas minerais dos dentes causada pela presença de ácidos gástricos, decorrentes de vômitos frequentes. Além disso, o uso abusivo de refrigerante também é uma das causas da erosão dental.

Fonte: Portal Terra

Compartilhe no Facebook

Digite seu endereço de e-mail e fique informado gratuitamente e clique em ENVIAR:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...